Implante Coclear

implante-coclear.jpg

O implante coclear é um dispositivo eletrônico indicado para os pacientes que possuem perda auditiva e que não se beneficiam da utilização dos aparelhos de amplificação sonora para aproveitamento da informação auditiva.

Entendemos que não há aproveitamento quando as habilidades de reconhecimento e discriminação da fala estão sofrendo prejuízos. É também conhecido como "ouvido biônico". A sua indicação demanda a avaliação de uma equipe multidisciplinar especializada, composta pelo médico otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, psicólogo e assistente social.

O implante é um dispositivo inserido cirurgicamente na cóclea, o órgão responsável pelo recebimento do estímulo auditivo e transmissão desta informação ao nervo auditivo e estruturas corticais.

Para seu funcionamento adequado é necessário a realização da ativação, mapeamentos e retornos para acompanhamento. É imprescindível o trabalho de terapia fonoaudiológica para que a criança desenvolva as habilidades auditivas e linguísticas.

Aqui você poderá encontrar algumas informações sobre este dispositivo

O que é um implante coclear?

O implante coclear é um dispositivo eletrônico que estimula diretamente as fibras do nervo auditivo. Diferentemente dos aparelhos auditivos convencionais, os quais amplificam os sons, o implante coclear fornece impulsos elétricos a diferentes fibras nervosas,estimulando diversas regiões da cóclea.

Componentes e funcionamento do implante coclear

O implante coclear é formado por dois dispositivos: um interno, inserido cirurgicamente e composto pelo receptor-estimulador interno e cabo de eletrodos e um externo, composto pelo microfone, processador de fala, antena transmissora e cabos. Todo o sistema funciona da seguinte maneira:

1. O microfone capta o som e envia-os ao processador de fala, o qual irá analisar e codificar a informação em impulsos elétricos.
2. A informação é enviada à antena transmissora externa, a qual de maneira transcutânea, transmite a informação ao receptor-estimulador interno por rádio-frequência.
3. No receptor-estimulador interno os sinais serão decodificados e enviados aos eletrodos intra-cocleares, inseridos cirurgicamente.
4. A informação deverá percorrer a via auditiva central e atingir as estruturas corticais responsáveis pela interpretação das informações auditivas. A partir deste momento, o usuário de implante coclear será capaz de experimentar a sensação de audição.

Perguntas e respostas frequentes sobre Implante Coclear

Quem são os candidatos ao implante coclear?

Adultos e crianças a partir de 1 ano de idade, portadores de deficiência auditiva neurossensorial de grau severo a profundo e/ou profundo bilateral, os quais não obtiveram resultados significativos com o uso do aparelho auditivo.

Quais são os benefícios do Implante Coclear?

O Implante possibilita uma melhora significativa na percepção de sons de fala e de sons ambientais, permitindo o desenvolvimento das habilidades de audição e linguagem para as crianças que não possuem um aproveitamento satisfatório do uso dos aparelhos de amplificação.

O que pode interferir nos resultados do Implante Coclear?

Os fatores que podem interferir nos resultados podem variar. A etiologia da deficiência auditiva e idade da implantação, bem como a duração e grau da perda auditiva, o estado da cóclea e outras condições médicas são capazes de influenciar nos resultados do implante coclear. De uma maneira geral, quanto menor o tempo de privação sensorial, melhores serão os resultados.

Tendências tecnológicas atuais

O que há de novo em termos de recursos para os dispositivos.

Dispositivo Interno:

• Altas taxas de estimulação e avanços no processamento de sinais
• Possibilidade de realização de Ressonância Magnética (necessário requerimento da autorização prévia do fabricante)
• Diversidade de eletrodos, de acordo com as possibilidades cirúrgicas de cada candidato

Dispositivo Externo:

• Processadores de fala com diversas opções de compartimento de baterias, adaptável às atividades de vida diária do usuário • Tecnologia avançada, com controles e ajustes realizados por meio de controle remoto • Conexão direta com sistemas de FM

As etapas do processo

Pré-cirúrgica: é a etapa na qual acontece a avaliação médica otorrinolaringológica, o diagnóstico audiológico preciso, avaliação e estudos por imagem. Em todo o processo a equipe deverá oferecer o apoio e esclarecimento ao usuário e família.

Cirúrgica: diz respeito ao momento da cirurgia para inserção dos eletrodos na cóclea. Nesta etapa também são realizados os procedimentos intra-cirúrgicos: telemetria de impedância dos eletrodos, telemetria de respostas do nervo auditivo e raio X.

Pós-cirúrgica: é quando acontece a ativação dos eletrodos. Neste momento são realizadas as orientação aos pais e/ou paciente com relação aos cuidados e funcionamento dos dispositivos externos, além do mapeamento dos eletrodos. Após esta etapa é necessário um acompanhamento periódico, de acordo com a idade e necessidade do paciente, para verificação das características deste procedimento.

Dispositivos Auxiliares e Implante Coclear

Com o objetivo de minimizar as dificuldades encontradas na compreensão dos sons da fala em situações consideradas difíceis, por exemplo, na presença de ruído competitivo, os usuários de Implante Coclear podem utilizar o processador de fala do implante coclear de maneira combinada à tecnologia do sistema de FM.

Uma melhora significativa das habilidades auditivas na percepção dos sons da fala em situações de ruído competitivo vem sendo descrita pelos pesquisadores da área, no que se refere ao uso do implante coclear associado a esses sistemas.



Fale com um Fonoaudiólogo

 
Para os Pais Para os Professores Para Profissionais de Saúde Auditiva Conheça o Mundo de Leo